SERASA - 14:46 11/12/03

16,2 milh?es de pessoas e empresas
regularizam d?vidas

Um volume recorde de pessoas f?sicas e jur?dicas que estava inadimplente retirou o nome da lista de devedores entre janeiro a outubro deste ano, segundo levantamento nacional feito pela Centraliza??o dos Servi?os Banc?rios (Serasa).

De acordo o estudo da Serasa, os registros de pend?ncias financeiras resolvidos de janeiro a outubro deste ano representa 73% do n?mero de novas pend?ncias inclu?das no mesmo per?odo. Isto significa que de cada 100 novos inclu?dos, 73 deixaram a base de dados de registro de n?o pagadores.

Nos dez primeiros meses de 2002, esse percentual foi de 50,82%. Em anos anteriores, oscilava entre 30% e 40%. O pico de baixas em 2003 ocorreu em agosto, quando 94,8% dos inadimplentes regularizaram suas pend?ncias.

O levantamento da Serasa mostra que de janeiro a outubro 22,3 milh?es de pessoas entraram na base de dados. Nesse per?odo, 16,2 milh?es retiraram o nome da lista de inadimplentes, registrando a maior regulariza??o de pend?ncias j? registrada em um per?odo de dez meses.

20 milh?es com anota??es de n?o pagamento
A Serasa informou que tem hoje cerca de 20 milh?es de pessoas f?sicas e jur?dicas com anota??es de n?o pagamento - como por exemplo cheques sem fundos e t?tulos protestados, entre outros - em seu banco de dados. De acordo com o C?digo de Defesa do Consumidor, o tempo m?ximo de perman?ncia de uma anota??o em banco de dados ? de cinco anos. A pesquisa revela ainda que em outubro de 2003 a maioria das anota??es no cadastro de inadimpl?ncia ? de cheques sem fundos.

Segundo o estudo do Indicador Serasa de Inadimpl?ncia, cerca de 37% das anota??es se referem a cheques sem fundos; 34%, a cart?es de cr?dito e financeiras; 27%, a d?vidas no sistema financeiro; e 2% referem-se a t?tulos protestados.

Para a Serasa, em 2003, apesar do crescimento da inadimpl?ncia, que vem apresentando ritmo menor, o consumidor priorizou o pagamento e a renegocia??o de suas d?vidas junto aos credores.

"Essa atitude do consumidor foi coerente com a baixa atividade econ?mica, com o alto desemprego e com a queda da renda, que inclusive caracterizou o reduzido consumo nas datas festivas do com?rcio como Dia das M?es, dos Namorados, dos Pais e das Crian?as - e favoreceu o registro de recorde de pessoas que conseguiram regularizar suas pend?ncias entre janeiro e outubro deste ano", divulgou. Com isso, a Serasa avalia que consumidor chega ao Natal menos inadimplente e mais receptivo ?s promo??es e facilidades de cr?dito empreendidas pelo varejo.